Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte

Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte

  • de: R$ 64,00
    por: R$ 51,20
    em até 5x sem juros no cartão de crédito. Parcela mínima R$ 5.00.
    R$ 48,64*
     * desconto de 5% na transferência on-line

  • Parcelas no cartão de crédito
    2x de R$ 25,60 sem juros
    3x de R$ 17,07 sem juros
    4x de R$ 12,80 sem juros
    5x de R$ 10,24 sem juros


O que ocorre quando nos colocamos Diante da imagem?Neste livro, o historiador da arte Georges Didi-Huberman - professor da École des Hautes Études, em Sciences Sociales, em Paris, e autor de dezenas de livros fundamentais, entre eles O que vemos, o que nos olha (Editora 34, 1998) e A imagem sobrevivente (Contraponto, 2013) - recorda que, em francês, voir (ver) rima com savoir (saber), o que sugere que, em nossa aproximação às imagens, o olhar nunca é neutro ou desinteressado.Diante delas, enlaçamos o visível juntamente com palavras, modelos de conhecimento e categorias de pensamento. De onde vêm esses modelos e categorias? É precisamente essa interrogação, uma espécie de arqueologia crítica da História da Arte, que o autor leva a cabo nestas páginas, analisando em profundidade algumas proposições teóricas de Giorgio Vasari e Erwin Panofsky.Recorrendo a Freud e seu conceito de Traumarbeit, trabalho do sonho, Didi-Huberman reconsidera os fundamentos dessa disciplina e nos convida a desconfiar do tom de certeza que, em diferentes registros, permeia atualmente o discurso da História da Arte - autorizado, ao que parece, pela acuidade das ferramentas que hoje emprega, a impressionante capacidade de erudição de seus profissionais, a pretensão científica e o papel que desempenha no mercado da arte e nas instituições culturais.No lugar da certeza que fecha o circuito do visível no legível, o autor de Diante das imagens propõe um princípio de incerteza, uma rasgadura do olhar, que vem à tona, de maneira magnífica, nas observações que tece em torno de obras como o afresco Madona das sombras, de Fra Angelico, no convento de San Marco, em Florença, ou a Rendeira, de Vermeer - dois pontos altos da crítica de arte em nossos dias.

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

Editora: Editora 34

Ano: 2013

Número de páginas: 360

Idioma: Português

Tradutor: Paulo Neves


Etiquetas: Georges Didi-Huberman